As últimas novidades e notícias da indústria de celulose e papel. Artigos técnicos, tendências, tecnologia, inovação, ESG, cursos e mais.

MS e Sebrae firmam parceria para empreendedorismo de povos indígenas

Instituições assinaram termo de cooperação na presença do presidente do Sebrae Nacional, Décio Lima, e de lideranças de cinco etnias do estado

Mato Grosso do Sul possui a terceira maior população indígena do país, segundo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). São mais de 116 mil indivíduos, com diferentes singularidades. Esse é o público da nova parceria firmada entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Cidadania (SEC), e o Sebrae/MS, que vai realizar ações visando ao desenvolvimento do empreendedorismo junto aos povos indígenas. Para tanto, Termo de Cooperação Institucional foi assinado na última sexta-feira (12), na sede do Sebrae em Campo Grande, com a participação de autoridades locais, imprensa e representantes de cinco etnias indígenas presentes no estado.

Notícia continua após o anúncio

Presente na assinatura, o governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, declarou que o empreendedorismo é uma alternativa para levar oportunidades para os cidadãos, sendo o Sebrae um parceiro estratégico na execução das ações junto aos indígenas. “O Estado tem obrigação de, através das políticas públicas, chegar à cada rincão desse território para poder fazer valer a política pública e a participação dessas pessoas no seu bem-estar, a partir das suas próprias visões, interesses e oportunidades. Temos no Sebrae um parceiro prioritário desse processo, que, ao longo da sua história, construiu excelência no atendimento às micro e pequenas empresas e em projetos que levam o empreendedorismo”, disse.

A parceria contempla capacitações, ações acesso ao mercado, entre outras iniciativas para apoiar o desenvolvimento do empreendedorismo nas comunidades indígenas. Um dos exemplos em andamento é o curso Empretec para um grupo de 30 mulheres artesãs, na aldeia Ofaié, em Brasilândia. O município já recebeu outras edições do curso para a população por meio do programa Cidade Empreendedora, iniciativa do Sebrae/MS e da Prefeitura Municipal para a transformação da economia local.

É a primeira vez que o Empretec é realizado junto a um público indígena no Brasil. Diante disso, o presidente do Sebrae Nacional, Décio Lima, veio à capital participar da solenidade de assinatura do termo. Mato Grosso do Sul é o 18º estado visitado por ele no projeto “Sebrae pelo Brasil”. “Aqui há uma diferença muito especial, por isso, o Sebrae Nacional está no Mato Grosso do Sul. Todos sabemos que o conceito da sustentabilidade, dentro do processo econômico, permite renda e acesso à dignidade para os povos indígenas. É para levar esse paradigma que o Sebrae e o Governo do Estado assinam este termo. Estamos modificando a vida das pessoas para dar dignidade pelo empreendedorismo”, afirmou o presidente.

O diretor-superintendente do Sebrae/MS, Claudio Mendonça, destaca que outras ações estão em andamento em Mato Grosso do Sul, como o curso para mais de 40 mulheres na aldeia Jaguapiru, em Dourados. O objetivo é a inclusão produtiva das pessoas por meio do empreendedorismo. “O Empretec é um programa desenvolvido há mais de 30 anos, e quem detém essa metodologia hoje no Brasil é o Sebrae. Essa é uma das ferramentas que nós vamos trabalhar com as comunidades indígenas, expandindo para várias comunidades junto com o Governo de Estado, por meio desse termo”, comentou.

Para a execução do trabalho, foram consideradas as necessidades específicas das comunidades indígenas. Para tal, a SEC realizou um levantamento da realidade local. “Nós fizemos um trabalho de escuta em cada território. Dos 79 municípios do estado, 36 têm comunidades indígenas. Ouvimos as necessidades para construir uma metodologia adaptada para a realidade das comunidades indígenas, respeitando toda a sua diversidade cultural, a ancestralidade e seus saberes. O Empretec e as outras ações que levaremos representam autonomia econômica, a sustentabilidade dentro dos territórios e, além disso, o protagonismo das mulheres”, explica a secretária de Estado da Cidadania, Viviane Luiza.

Já para quem é o foco da ação, a expectativa é de transformação da realidade local. O subsecretário de Estado de Políticas Públicas para os Povos Originários, Fernando Souza, que também é da etnia Terena, afirma que o empreendedorismo está presente no dia a dia de parte das comunidades, mas timidamente. Por isso, com as capacitações por meio da parceria entre Sebrae e o Governo do Estado, a ideia é profissionalizar as pessoas e expandir os negócios.

“É uma parceria que vai transformar a realidade social dentro dos territórios indígenas, a partir das pessoas que farão essa capacitação, porque traz não só o empoderamento dessas pessoas, mas também aperfeiçoa os trabalhos, seja na área da Arte, da Cultura e nas outras áreas do sistema de produção interna das nossas comunidades; consequentemente, transformando a realidade dessas famílias. O empreendedorismo é uma iniciativa que já está presente dentro do nosso território, no entanto, ainda de forma muito tímida. Precisamos extrapolar os limites dos territórios indígenas e chegar nas cidades, nas capitais, no Brasil e no mundo”, finaliza.

Participaram da solenidade a primeira-dama de Mato Grosso do Sul, Mônica Riedel; o vice-governador de MS, José Carlos Barbosa (Barbosinha); o deputado federal, Geraldo Resende; os conselheiros do Sebrae/MS: Alfredo Zamlutti (Faems); Jaime Verruck (Semadesc); Marcelo Turine (UFMS); Márcio de Araujo Pereira (Fundect); Cristiane Bissoni (AMEMS); além do diretor de Operações do Sebrae/MS, Tito Estanqueiro; do cacique da aldeia Marçal de Souza (Campo Grande), Josias Jordão Ramires e do cacique da aldeia Ofaié (Brasilândia), Marcelo Silva.

Com a assinatura, o Termo de Cooperação Institucional para o desenvolvimento de ações de empreendedorismo para os povos indígenas de Mato Grosso do Sul terá vigência de um ano, podendo ser prorrogado.

Últimas Notícias

Desmitificando a PL da Silvicultura 

Combatendo a desinformação sobre a silvicultura, especialistas esclarecem a produção florestal das árvores cultivadas como uma atividade sustentável

Preços mundiais dos produtos florestais mantêm cenário negativo

A produção e preços dos produtos florestais variaram na última década, com retrações na crise sanitária e recuperação seguida de novas quedas.

Demanda por produtos de papel: consequências das inundações no RS

As inundações no RS devem ter impacto limitado na demanda por papel em 2024, com forças opostas compensando-se no curto e médio prazo.

Branded Contents

INCAPE forma primeira turma do curso “Mulheres Papeleiras”

Iniciativa da INCAPE reforça o compromisso da empresa com o Pacto Global da ONU, rumo à igualdade de gêner

Thiago Karam Westphalen assume presidência da INCAPE

Thiago Karam Westphalen assume como diretor presidente da INCAPE, com planos de continuar a trajetória de sucesso da família na expansão dos negócios

Destaques Tecnológicos

Destaques tecnológicos do setor: Andritz, Contech, Hergen, Solenis, Valmet E Voith

Compartilhar

Newsletter

Mantenha-se Atualizado!

Assine nossa newsletter gratuita e receba com exclusividade notícias e novidades