As últimas novidades e notícias da indústria de celulose e papel. Artigos técnicos, tendências, tecnologia, inovação, ESG, cursos e mais.

Quem é a Lenzing? Como ela impulsionará a participação da Suzano no mercado de fibras têxteis?

Suzano expande no mercado de celulose têxtil com aquisição de 15% da Lenzing e nova unidade de produção da Woodspin para fibras sustentáveis

Em um movimento estratégico para fortalecer sua posição no mercado de celulose têxtil, a Suzano S.A. (B3: SUZB3/ NYSE: SUZ) anunciou hoje a aquisição de uma participação minoritária de 15% na Lenzing Aktiengesellschaft (Lenzing), uma líder global em fibras especiais. A transação, avaliada em EUR 229,9 milhões, faz parte de uma parceria estratégica com a B&C Holding Österreich GmbH (B&C), principal acionista da Lenzing.

Notícia continua após o anúncio

Este movimento está alinhado à estratégia da Suzano de expandir sua atuação no mercado de celulose para têxteis, um segmento no qual a empresa já possui presença significativa através da joint venture Woodspin. A Woodspin, fruto da parceria entre a finlandesa Spinnova e a Suzano, opera a primeira unidade comercial de produção de fibra têxtil sustentável SPINNOVA®, com capacidade de 1.000 toneladas anuais. Essa unidade utiliza celulose de eucalipto certificada e cultivada de maneira sustentável pela Suzano, destacando-se por sua abordagem inovadora em circularidade e sustentabilidade.

Além da aquisição inicial, o acordo concede à Suzano o direito de adquirir uma participação adicional de 15% na Lenzing, potencialmente alterando o controle da empresa. Esta etapa será realizada através de uma oferta pública obrigatória, conforme estipulado pela Lei de Aquisições de Controle da Áustria, podendo ser exercida entre o primeiro aniversário do fechamento da operação até o final de 2028. A Suzano também garantiu duas posições no Conselho de Administração da Lenzing, fortalecendo sua influência estratégica na gestão da companhia. A operação está sujeita às aprovações regulatórias habituais.

“A aquisição da participação na Lenzing é um passo importante para fortalecer nossa presença no mercado de fibras têxteis sustentáveis, complementando nossas operações com a Woodspin. Estamos comprometidos com a inovação e a sustentabilidade, e acreditamos que a Lenzing é um parceiro ideal para impulsionar esses objetivos”, afirmou Marcelo Feriozzi Bacci, Diretor Executivo de Finanças e Relações com Investidores da Suzano.

Stephan Sielaff, CEO da Lenzing, expressou entusiasmo com a parceria. “Suzano e Lenzing são players relevantes no mercado internacional de celulose. A expertise da Suzano em produção e excelência operacional contribuirá significativamente para a nossa estratégia.”

A operação está alinhada com as estratégias de longo prazo da Suzano, que incluem a expansão de novos mercados e a sustentabilidade. A companhia garantiu que a transação não impactará materialmente sua alavancagem financeira.

A Lenzing é uma empresa global de fibras especiais com sede em Lenzing, Áustria, com fábricas
estrategicamente localizadas em todo o mundo. Reconhecida pelas suas práticas sustentáveis, a
Lenzing é especializada na produção de fibras de celulose à base de madeira (liocel, modal e viscose).
Com uma capacidade de produção anual superior a 1 milhão de toneladas, lidera a indústria na
produção de fibras ecologicamente sustentáveis. Suas fibras são utilizadas em várias aplicações,
incluindo roupas, têxteis para o lar, produtos de higiene e materiais não tecidos. A empresa está
comprometida com a inovação e o meio ambiente, o que reforça sua posição como líder na indústria
têxtil sustentável.

Vale dizer que no Brasil, a Lenzing está presente como LD Celulose, uma joint venture entre a companhia e a Dexco.

Expansão da operação da Woodspin

Em março deste ano, a Spinnova Plc e a Suzano S.A. assinaram uma Carta de Intenções (LOI) para construir uma nova unidade de produção de fibra SPINNOVA® à base de madeira, com capacidade preliminar de 20 mil toneladas por ano, possivelmente localizada próxima a uma fábrica de celulose da Suzano. A Suzano será a proprietária e operadora da nova unidade, enquanto a Spinnova e seus parceiros fornecerão a tecnologia de produção.

A fase de pré-engenharia da nova unidade está prevista para começar no segundo semestre de 2024, conforme informação divulgada no site da empresa. A transição para a pré-engenharia está sujeita à entrega pela Spinnova de um Pacote de Design de Processo (PDP) para a nova unidade, bem como à aprovação estratégica da Suzano e ao cumprimento de certos critérios de processo e métricas de fibra na unidade Woodspin.

A Spinnova, que já opera a fábrica Woodspin em parceria com a Suzano desde 2023, não precisará levantar capital para esta nova planta, sendo a Suzano responsável pelo financiamento.

O projeto visa expandir a produção da fibra SPINNOVA®, com a Suzano integrando a nova unidade à sua infraestrutura existente para maximizar sinergias.

O que é celulose especial ou celulose solúvel?

A celulose especial, também conhecida como celulose solúvel, é um tipo de celulose que possui características e pureza elevadas, tornando-a adequada para uma variedade de aplicações industriais e de consumo. Diferente da celulose comum usada principalmente na fabricação de papel e papelão, a celulose solúvel é processada para remover impurezas e ajustar suas propriedades químicas, o que a torna ideal para aplicações mais sofisticadas. Aqui estão algumas características e usos principais da celulose solúvel:

Características:

  1. Alta Pureza: A celulose solúvel tem uma pureza muito alta, geralmente acima de 90%, o que a diferencia da celulose comum.
  2. Solubilidade: Pode ser dissolvida em solventes específicos, o que permite sua transformação em diferentes produtos.
  3. Viscosidade Ajustável: A viscosidade da celulose solúvel pode ser controlada durante o processo de fabricação, permitindo sua adaptação a diversas aplicações.

Aplicações:

  1. Fibras Têxteis: A celulose solúvel é usada na produção de fibras regeneradas, como o viscose, lyocell e modal. Essas fibras são conhecidas por sua suavidade, brilho e conforto, sendo amplamente utilizadas na indústria têxtil.
  2. Produtos Farmacêuticos: Serve como excipiente em medicamentos, ajudando na formação de comprimidos e cápsulas.
  3. Alimentos: Utilizada como espessante e estabilizante em alimentos e bebidas, devido à sua solubilidade e segurança alimentar.
  4. Produtos de Higiene Pessoal: Incorporada em produtos como lenços umedecidos e fraldas devido à sua suavidade e absorção.
  5. Filmes e Plásticos Biodegradáveis: Empregada na produção de filmes e plásticos biodegradáveis, contribuindo para soluções ambientais sustentáveis.

Produção:

A produção de celulose solúvel envolve várias etapas de processamento químico para remover a lignina e outras impurezas presentes na madeira ou outras fontes vegetais. O processo inclui a polpação, branqueamento e purificação para alcançar a qualidade desejada.

A demanda por celulose solúvel está crescendo devido à busca por materiais sustentáveis e biodegradáveis, que oferecem uma alternativa ecológica aos plásticos sintéticos e outros materiais derivados de petróleo.

O mercado de celuloses especiais

Em artigo publicado pelo Guia de Fabricantes & Fornecedores da ABTCP (2023-2024), assinado pelos especialistas da AFRY, então Pöyry, o consumo global de celulose de mercado de fibra virgem
de madeira para papel e celuloses especiais aumentou de 55 Mt em 2010 para 71 Mt em 2020, antes de cair para 69 Mt em 2021, mas o Brasil também está tornando-se destaque no mercado global de celulose solúvel que é utilizada como matéria-prima na indústria farmacêutica, de alimentos e principalmente na indústria têxtil.

“Além da celulose fluff em que o Brasil já havia comprovado sua competitividade e eficiência na produção sustentável, o período de 2021 e 2022 consolidou a importância da produção brasileira de celulose solúvel, sendo palco da construção e início de produção de duas plantas que representam o estado da arte para este tipo de celulose. A escala de produção e o modelo sustentável baseado em florestas plantadas destas plantas de celulose solúvel atraem a atenção da indústria têxtil, ampliando para a indústria de base florestal brasileira um mercado de consumidores ainda mais exigentes em relação à sustentabilidade e à descarbonização da economia.”

Essas plantas são a Bracell e a LD Celulose. A Bracell produz celulose solúvel especial proveniente de madeira com altas taxas alfa e grau de pureza superior a 98,5%. Somada as capacidades das fábricas de Camaçari (BA) e Lençóis Paulista (SP), a Bracell pode produzir três milhões de toneladas de celulose kraft ou dois milhões de toneladas de celulose solúvel por ano. A empresa oferece dois tipos básicos de celulose especial: a celulose solúvel (rayon-grades) e a celulose solúvel especial (specialty-grades). Já a LD Celulose é uma joint venture entre a austríaca Lenzing e a brasileira Dexco.  Localizada no Triângulo Mineiro, fica entre os municípios de Indianópolis e Araguari. Possui capacidade de produção de 500 mil toneladas de celulose solúvel por ano, além de 144 MW de energia limpa. As fibras especiais de celulose produzidas na LD são utilizadas na indústria têxtil, gerando tecidos com inovação, sustentabilidade e alta tecnologia.

Com informações da Lenzing e da Suzano

Últimas Notícias

Veracel Celulose comemora 33 anos

Companhia com atuação no Sul da Bahia construiu trajetória produzindo celulose da Bahia para o mundo de forma sustentável

Suzano adquire duas fábricas nos EUA por US$ 110 milhões, expandindo presença no mercado de embalagens

As fábricas são especializadas na produção de papelcartão utilizado em embalagens de líquidos e copos de papel, com uma capacidade produtiva de 420 mil toneladas anuais. Suzano adquire duas fábricas nos EUA da Pactiv Evergreen por US$ 110 milhões, fortalecendo sua posição em embalagens e papelcartão

Balança comercial do setor florestal tem alta no 1T24 puxada pelas vendas de painéis de madeira

A balança comercial do setor florestal brasileiro registrou saldo positivo de US$ 3,2 bi no 1T24, com destaque para as exportações de painéis de madeira

Branded Contents

INCAPE forma primeira turma do curso “Mulheres Papeleiras”

Iniciativa da INCAPE reforça o compromisso da empresa com o Pacto Global da ONU, rumo à igualdade de gêner

Thiago Karam Westphalen assume presidência da INCAPE

Thiago Karam Westphalen assume como diretor presidente da INCAPE, com planos de continuar a trajetória de sucesso da família na expansão dos negócios

Destaques Tecnológicos

Destaques tecnológicos do setor: Andritz, Contech, Hergen, Solenis, Valmet E Voith

Compartilhar

Newsletter

Mantenha-se Atualizado!

Assine nossa newsletter gratuita e receba com exclusividade notícias e novidades