As últimas novidades e notícias da indústria de celulose e papel. Artigos técnicos, tendências, tecnologia, inovação, ESG, cursos e mais.

Ramboll Prevê Impacto Dos Riscos Climáticos

Ramboll avança em nova metodologia que prevê impacto dos riscos climáticos para os planos diretores portuários 
 
Segundo a consultoria, ameaça aos portos e também às rodovias decorrentes da aceleração das mudanças climáticas requer mudanças no planejamento para se buscar alternativas e minimizar os riscos
Utilizar metodologias para avaliar os riscos climáticos a fim de orientar o planejamento portuário e rodoviário tornou-se fundamental em face dos impactos que as mudanças do clima estão provocando nas operações logísticas. A Ramboll, consultoria multinacional especializada em engenharia e projetos multidisciplinares, vem trabalhando no desenvolvimento de uma nova metodologia que leva em conta a análise de questões estruturais como o aumento da demanda e a capacidade da infraestrutura existente, bem como o impacto dos fatores de risco climático nos diversos corredores logísticos brasileiros.
 
Entre os projetos desenvolvidos, a Ramboll elaborou, em parceria com especialistas em gestão portuária nacionais e internacionais uma nova metodologia para a Logística Portuária, que leva em conta o cenário brasileiro em função da capacidade de cada região portuária e as ações necessárias em termos de adaptação em decorrência do impacto das mudanças climáticas.
 
“A estrutura de transportes brasileira, em particular a portuária e rodoviária, tem como desafios atender o aumento no volume de movimentações previsto por setores como o agronegócio e a geração de energia eólica offshore e, ao mesmo tempo, lidar com os riscos climáticos”, destaca Alejandra Devecchi, Gerente de Planejamento Urbano da Ramboll no Brasil.
 
Ela observa, por exemplo, que nos sete primeiros meses deste ano, só o Porto de Santos escoou 96,279 milhões de toneladas de cargas e, deste volume, 52,8 milhões de toneladas foram de sólidos a granel (o que inclui produtos agrícolas como açúcar, farelo e grãos de soja, milho e trigo), com um crescimento de 7% em relação ao mesmo período de 2022. E a previsão é a de que essa movimentação cresça ainda mais. Dados do 12º Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgados no início de setembro, apontam que a safra brasileira de grãos alcançou novo recorde, com 322,8 milhões de toneladas, um crescimento de 18,4% em relação ao ano passado..
Paralelamente ao aumento da movimentação portuária, cresce o risco climático. Segundo um estudo realizado pela Antaq, o Porto de Santos é um dos três do País que têm risco elevado de paralisação por conta de ameaças causadas por chuvas fortes, inundações e outras intempéries climáticas.
Para a Gerente de Planejamento Urbano da Ramboll no Brasil, “isso demonstra que a análise dos investimentos é ainda mais complexa considerando que a simples previsão de demanda futura se tornou insuficiente”.
A visão integrada da Ramboll, que combina impacto das mudanças climáticas com a capacidade de movimentação e expansão de cada região portuária, procura responder a questões que preocupam os operadores portuários, desde a existência de cargas que ainda não foram capturadas – o que representa uma receita não realizada –até, e principalmente, como eles devem elaborar seus planos mestres de expansão, de modo a prever e minimizar os impactos climáticos.
“A nova metodologia reavalia essas análises, com um olhar mais estratégico do ponto de vista ambiental, de capacidade, de demanda e gargalos, e traz uma forma de análise de priorização de investimentos totalmente alinhada às melhores práticas internacionais”, explica José Di Bella, especialista em gestão portuária e ex gestor do Porto de Santos.
Di Bella conta que, no lugar de uma análise SWOT (análise de fortalezas, fraquezas, oportunidades e ameaças), a Ramboll traz uma análise de risco na qual oportunidades e riscos são tratados dentro da mesma matriz e, por meio de uma ponderação, é possível extrair uma classificação de empreendimentos que são mais adequados ou prioritários. Trata-se de uma análise, explica, que foge do comum ao mostrar o que está na área de influência dos terminais e que pode ser considerado e aproveitado.
Como consultoria com grande expertise global em infraestrutura urbana e logística, a Ramboll desenvolveu uma metodologia que aprimora a forma de realizar a análise de risco, já implementada em várias capitais do mundo, incluindo o Rio de Janeiro, onde foi adaptada ao entorno portuário.
“A nova metodologia possui um arcabouço de instrumentos de análise muito mais abrangente para um planejamento e uma análise de oportunidades com maior sensibilidade. O objetivo é ajudar as empresas a identificarem oportunidades de captação de cargas inexploradas, por exemplo, a fim de melhorar a utilização dos terminais, reduzindo a sua ociosidade e aumentando a geração de receita, ou ainda aqueles terminais que precisam de intervenções mais imediatas”, explica Di Bella.
Além do escoamento da safra, outro desafio apontado pela análise da Ramboll, destacadamente nos portos da região Norte e Nordeste, é a internalização das pás dos aerogeradores para produção de energia elétrica. Como as pás nos novos turbogeradores offshore têm 115 metros de comprimento, essas cargas exigem terminais adaptados e também uma malha viária que possibilite a movimentação delas por via terrestre.
“As ferramentas utilizadas pela consultoria permitem identificar as vulnerabilidades de cada porto, quais são seus acessos e como eles respondem sob a perspectiva do risco climático, e quais são as alternativas para exportação”, acrescenta Alejandra Devecchi.
Entre os projetos na área portuária realizados pela Ramboll ou nos quais a consultoria está atuando, incluem-se o desenvolvimento de um novo porto na região Norte do Pais no Amapá, além da adaptação de um terminal portuário em Santana, também no Amapá;, a realização de estudos para uma grande operadora logística, projeto de identificação de site para a construção de um novo terminal portuário para celulose, além do trabalho de consultoria para a ONU e Agência Infra, do Ministério da Infraestrutura, visando a proposição da metodologia para portos e rodovias considerando os impactos climáticos.
 
Sobre a RAMBOLL
A Ramboll é uma empresa global de arquitetura, engenharia e consultoria, presente em 33 países e que oferece expertise e soluções sustentáveis para governos, empresas e parceiros em todo o mundo.. Conta com mais de 17.500 especialistas, incluindo engenheiros, projetistas e consultores que fornecem soluções sustentáveis, multidisciplinares e de longo prazo em Transportes, Energia, Meio Ambiente, Saúde, Água, Edifícios, Consultoria de Gestão e Arquitetura e Urbanismo. A Ramboll é membro do Pacto Global da ONU e seu negócio contribui significativamente para o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Suas metas climáticas são aprovadas pela iniciativa Science Based Targets, alinhadas com o Acordo de Paris.
 
No Brasil possui escritórios no Rio de Janeiro, em São Paulo, Valinhos e Belo Horizonte. Com mais de 100 especialistas dedicados aos diversos segmentos de atuação da empresa, a Ramboll atua nos mercados de Meio Ambiente, Saúde e Segurança, Água, Energia e Planejamento Urbano.
 

Últimas Notícias

União Europeia aprova a fusão entre a Smurfit Kappa e a WestRock

Fusão entre Smurfit Kappa e WestRock é aprovada pela UE devido à sua posição limitada no mercado. Decisão tomada sob procedimento simplificado.

Maior volume, menor custo: já pensou em comprar suas bebidas em embalagens de papel?

Mercado de embalagens cresce com busca por alternativas sustentáveis. Bag in Box se destaca em bebidas como vinho e whisky, gerando economia e sustentabilidade

Eldorado Brasil aumenta produtividade florestal em até 15%

Eldorado Brasil amplia sua área florestal plantada em 30 mil hectares e registra avanços significativos em produtividade, com 15% no Incremento Corrente Anual

Branded Contents

Garanta a precisão e qualidade na rastreabilidade do setor de celulose, papel e tissue

Como o setor realiza a rastreabilidade de seus produtos? Quais as soluções existentes? A Betim Coding é especializada na codificação da produção desse segmento

Contech anuncia início de atividades no México

Com negócios fechados no México, a Contech, chega ao seu décimo terceiro país em atividades, levando patentes, inovações e soluções químico-mecânicas para o segmento de celulose e papel

Solenis homenageia Suzano pelos 100 anos

Suzano, Parabéns pelos 100 anos! Uma história repleta de grandes desafios e muito sucesso. Pioneirismo, inovação, tecnologia de ponta, atributos que facilmente conferiríamos a nós...

Compartilhar

Newsletter

Mantenha-se Atualizado!

Assine nossa newsletter gratuita e receba com exclusividade notícias e novidades