As últimas novidades e notícias da indústria de celulose e papel. Artigos técnicos, tendências, tecnologia, inovação, ESG, cursos e mais.

Fibria Anuncia Aumento Da Capacidade De Produção

A Fibria, empresa brasileira de base florestal e líder mundial na produção de celulose de eucalipto, anuncia o aumento da capacidade de produção da nova unidade em Três Lagoas (MS), que passa de 1,75 milhão de toneladas/ano para 1,95 milhão de toneladas/ano. Essa nova ampliação do projeto não muda o investimento total previsto na obra, de R$ 8,7 bilhões, equivalente a cerca de US$ 2,4 bilhões.
A divulgação da nova capacidade de produção ocorre no momento em que a companhia celebra um ano do Projeto Horizonte 2, que já conta com 32,5% das obras concluídas.  Nesta terça-feira (31/5), o presidente da Fibria, Marcelo Castelli, e o governador do estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, anunciam o aumento da capacidade de produção no canteiro de obras da empresa. 
Somando a nova linha à atual fábrica já em operação, a unidade de Três Lagoas (MS) ampliará sua capacidade de produção em 150%, superando a capacidade total de 3,2 milhões de toneladas de celulose/ano. Com isso, a capacidade total de produção da Fibria, considerando-se todas as suas unidades no Brasil, passará dos atuais 5,3 milhões de toneladas de celulose/ano para 7,25 milhões de toneladas de celulose/ano.
A Fibria tem investido no desenvolvimento da base florestal na região com o objetivo de abastecer a nova linha de produção. O suprimento de madeira necessário para a operação da nova fábrica virá de florestas cultivadas no Mato Grosso do Sul. Serão necessários 187 mil hectares de florestas plantadas em áreas próprias, arrendamento e parcerias. Somados os 120 mil hectares destinados a atender a fábrica atual, a base florestal que irá suprir a unidade de Três Lagoas passa para 307 mil hectares. O raio médio das florestas até as duas linhas de produção da empresa será de menos de 100 quilômetros, um dos mais competitivos do mercado.
A unidade da Fibria em Três Lagoas segue os mais modernos conceitos de ecodesign, com processos produtivos mais limpos e eficientes. Além disso, toda a energia consumida é gerada na própria fábrica, por meio de biomassa proveniente de cascas do eucalipto e biomassa líquida resultante do processo industrial. Com o aumento da capacidade de produção, a unidade industrial, além de gerar e consumir a própria energia, passará a ter um excedente de 130 MWH, que contribuirá positivamente para o balanço energético brasileiro, além de favorecer a matriz energética ao usar fontes renováveis. 
“A ampliação da capacidade de produção do Projeto Horizonte 2 mostra que os fundamentos que nortearam a estruturação da expansão da nossa unidade em Três Lagoas são sólidos e amparados em uma estrutura financeira que maximizam os ganhos para a Fibria. Estamos anunciando a capacidade maior sem que sejam necessários novos aportes financeiros. Nos dá orgulho ver as obras em andamento, gerando empregos, melhoria na qualidade de vida e desenvolvimento para Três Lagoas, para o Mato Grosso do Sul e para o Brasil”, afirma Marcelo Castelli, presidente da Fibria.
 
Estrutura de Financiamento do Projeto Horizonte 2
Em maio deste ano, a Fibria assinou os contratos de financiamentos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO) da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO) e com a agência de crédito à exportação da Finlândia (Finnvera). Com isso, todos os recursos necessários para a nova linha de produção da Fibria estão formalmente contratados e garantidos. 
O custo médio do financiamento do Projeto Horizonte 2 ficará em 2,1% ao ano, em dólar. A solução financeira para o projeto irá melhorar a qualidade de crédito da companhia, reduzindo o juro médio atual em dólar de 3,4% para 2,9%, e com vencimento em prazos mais longos.
Como complemento às linhas de financiamento, a Fibria irá obter os demais recursos necessários para o projeto com a liberação de capital de giro decorrente do contrato feito em 2015 com a Klabin para comercialização da celulose proveniente do projeto PUMA. 
O BNDES aprovou financiamento no valor de R$ 2,3 bilhões para a Fibria. O projeto inclui a aquisição de vagões, locomotivas, máquinas e equipamentos nacionais, além de investimentos sociais em áreas de influência da empresa. Como parte do funding do projeto, a Fibria contou com a emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs), realizada em outubro de 2015, no valor total de R$ 675 milhões. Com isso, a empresa pôde se beneficiar do Programa de Incentivo ao Mercado de Renda Fixa, criado pelo BNDES em 2015, que visa estimular o mercado de capitais no Brasil. 
Já a Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO) concedeu um financiamento no valor de R$ 831,5 milhões para a Fibria. A empresa se enquadra na prioridade setorial da SUDECO por pertencer ao setor tradicional e por se tratar de uma indústria de celulose integrada a um projeto de reflorestamento, e também na categoria prioridade espacial por estar localizada no município de Três Lagoas (MS) e ser classificada na tipologia da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), o que confere preferência na aplicação de recursos do FDCO.
No mercado externo, a Fibria acessou duas linhas de financiamento, sendo US$ 400 milhões em empréstimo sindicalizado, via pré-pagamento de exportação, com custo médio de taxa Libor mais 1,43% e prazo médio de 5 anos; e outros US$ 400 milhões com a agência de crédito de exportação Finnvera (da Finlândia), que financia equipamentos deste país.
 
Compromisso com a comunidade
Com o Projeto Horizonte 2, a Fibria reafirma o compromisso de atuar de forma responsável no fomento e desenvolvimento contínuo de suas comunidades vizinhas. Por isso, a empresa anuncia também o Programa Básico Ambiental, que vai investir mais R$ 6,2 milhões em Três Lagoas na compra de equipamentos para secretarias municipais e reformas em quatro escolas municipais, de uma Clínica Odontológica e de uma Clínica Ortopédica. Outras entidades também estão sendo contempladas, como Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, Centro Salesiano e APAE.
Os municípios sul-mato-grossenses de Brasilândia e Selvíria também serão beneficiados com investimento superior a R$ 1,9 milhão em reforma de escola municipal e hospital.  O governo do Mato Grosso do Sul recebeu repasse de R$ 34 milhões de compensação ambiental, totalizando R$ 41, 5 milhões em investimentos no estado e nas comunidades locais. 
Ao longo dos dois anos de execução do projeto serão criados 40 mil empregos diretos e indiretos. Durante o pico da obra, serão cerca de 10 mil trabalhadores. Quando entrar em operação, a nova linha de celulose da Fibria terá 3 mil postos de trabalho, entre diretos e indiretos. Também durante a construção do projeto, a Fibria contará com cerca de 60 fornecedores de Três Lagoas, contribuições que favorecem o desenvolvimento econômico do município, com melhoria na qualidade de vida dos cidadãos e de suas famílias. As obras também terão impacto positivo nas finanças públicas, com estimativa de arrecadação de impostos de cerca de R$ 450 milhões durante a construção. 
O projeto de expansão da unidade da Fibria de Três Lagoas prevê outros R$ 11,7 milhões em investimentos sociais em parceria com o BNDES. Além de saúde e educação, os investimentos sociais preveem projetos de geração de renda, inclusive com a ampliação do PDRT – Programa de Desenvolvimento Rural Territorial, que ajuda a desenvolver nas comunidades rurais do entorno formas de garantir renda e inclusão social.  Ao todo, serão 43 projetos beneficiando 43 mil pessoas.
Fonte: Fibria

Últimas Notícias

Melhoramentos anuncia nova fábrica de embalagens sustentáveis em Minas Gerais

Melhoramentos construirá fábrica de embalagens sustentáveis com fibra de celulose, 100% compostáveis, em Minas Gerais. O investimento será de R$ 40 milhões

Irani investe mais de R$ 18 milhões em plataformas de PD&I

Projetos da Irani em PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) focam em inovações que abrangem o segmento de papel, embalagem, florestal e meio ambiente

Irani Papel e Embalagem avalia novo ciclo de investimentos

Irani avalia projeto "Plataforma Neos", com expansão da base florestal, aumento da produção de celulose de fibra longa, papel para embalagens e papelão ondulado

Branded Contents

INCAPE forma primeira turma do curso “Mulheres Papeleiras”

Iniciativa da INCAPE reforça o compromisso da empresa com o Pacto Global da ONU, rumo à igualdade de gêner

Thiago Karam Westphalen assume presidência da INCAPE

Thiago Karam Westphalen assume como diretor presidente da INCAPE, com planos de continuar a trajetória de sucesso da família na expansão dos negócios

Destaques Tecnológicos

Destaques tecnológicos do setor: Andritz, Contech, Hergen, Solenis, Valmet E Voith

Compartilhar

Newsletter

Mantenha-se Atualizado!

Assine nossa newsletter gratuita e receba com exclusividade notícias e novidades