As últimas novidades e notícias da indústria de celulose e papel. Artigos técnicos, tendências, tecnologia, inovação, ESG, cursos e mais.

Setor florestal pode ser protagonista no mercado de carbono

Rabobank aponta que os setores florestal e de papel e celulose têm o potencial para se tornarem atores relevantes no mercado voluntário de crédito de carbono como emissores de créditos NBS ("nature-based solutions" ou soluções baseadas na natureza) nos próximos anos

Estudo conduzido pelo banco Rabobank sobre o mercado voluntário de carbono, o Voluntary carbon market and the forestry sector: Opportunities and challenges ahead revela que existem vários obstáculos a ultrapassar antes desse mercado poder realmente acelerar e atingir o seu potencial. Realizado por Andres Padilla, analista de Celulose do Rabobank Brasil, ele afirma que as empresas dos setores florestal e de papel e celulose têm o potencial para se tornarem atores relevantes no mercado voluntário de crédito de carbono como emissores de créditos NBS (“nature-based solutions” ou soluções baseadas na natureza) nos próximos anos.

Notícia continua após o anúncio

Inclusive, de acordo com estimativas da McKinsey e de outras consultorias, a demanda potencial por NBS pode chegar a US$ 50 bilhões até 2030. Essa estimativa coloca o Brasil e a Indonésia como os dois maiores locais possíveis para projetos NBS, dadas as florestas existentes e a disponibilidade de terras para conversão em projetos, com cada país representando cerca de 15% da oferta teórica total.

A demanda potencial por NBS pode chegar a US$ 50 bilhões até 2030.

Dentre as oportunidades para o setor florestal no mercado voluntário de crédito de carbono estão a possibilidade de reflorestar, proteger e preservar grandes áreas de florestas nativas, convertendo pastagens degradadas em novas florestas e estabelecendo parcerias com agricultores e outras entidades do setor privado; a geração de créditos de carbono NBS certificados de alta qualidade, que podem ser vendidos no mercado voluntário para empresas que buscam compensar suas emissões de GEE; e a possibilidade de se tornar financeiramente sustentável por meio da emissão de créditos de carbono NBS 2.

Contudo, o estudo também aponta os principais obstáculos que as empresas enfrentam ao desenvolver projetos de crédito de carbono fora de suas operações diárias, que incluem: a falta de um marco legal definido em alguns países, o que leva as empresas a postergar investimentos em projetos de crédito de carbono em maior escala; a falta de uma norma global oficial para certificar todos os créditos, o que pode levar a divergências entre as agências de certificação e prejudicar a qualidade e transparência dos créditos; a necessidade de seguir critérios rigorosos de adicionalidade, verificação e controle para garantir a efetiva redução de emissões de GEE e sequestro de carbono; e os riscos adicionais trazidos por eventos climáticos extremos, que podem adicionar custos aos projetos e frustrar os compradores.

Últimas Notícias

Veracel Celulose comemora 33 anos

Companhia com atuação no Sul da Bahia construiu trajetória produzindo celulose da Bahia para o mundo de forma sustentável

Suzano adquire duas fábricas nos EUA por US$ 110 milhões, expandindo presença no mercado de embalagens

As fábricas são especializadas na produção de papelcartão utilizado em embalagens de líquidos e copos de papel, com uma capacidade produtiva de 420 mil toneladas anuais. Suzano adquire duas fábricas nos EUA da Pactiv Evergreen por US$ 110 milhões, fortalecendo sua posição em embalagens e papelcartão

Balança comercial do setor florestal tem alta no 1T24 puxada pelas vendas de painéis de madeira

A balança comercial do setor florestal brasileiro registrou saldo positivo de US$ 3,2 bi no 1T24, com destaque para as exportações de painéis de madeira

Branded Contents

INCAPE forma primeira turma do curso “Mulheres Papeleiras”

Iniciativa da INCAPE reforça o compromisso da empresa com o Pacto Global da ONU, rumo à igualdade de gêner

Thiago Karam Westphalen assume presidência da INCAPE

Thiago Karam Westphalen assume como diretor presidente da INCAPE, com planos de continuar a trajetória de sucesso da família na expansão dos negócios

Destaques Tecnológicos

Destaques tecnológicos do setor: Andritz, Contech, Hergen, Solenis, Valmet E Voith

Compartilhar

Newsletter

Mantenha-se Atualizado!

Assine nossa newsletter gratuita e receba com exclusividade notícias e novidades