As últimas novidades e notícias da indústria de celulose e papel. Artigos técnicos, tendências, tecnologia, inovação, ESG, cursos e mais.

Reputação Confiável: Você Acredita Que Tem?

Promessas são, segundo Carolyn Taylor – uma das maioresespecialistas do mundo em mudança de cultura organizacional –, a essência da accountability, termo em inglêsque expõe a capacidade de um indivíduo ou grupo de satisfazer as expectativas de um terceiro. O assunto tem sidoamplamente discutido pela área estratégica das organizações, principalmente pelos líderes, que se sentem frustrados com as tarefas que”não” são feitas dentro do tempo previsto.Carolyn Taylor é autora de “Accountability no Trabalho: Como Comprometer-se e Cumprir o Prometido e Conseguir que Outros Façamo Mesmo”. A tradução que melhor se aplica ao termo accountability é,sem dúvida, a palavra responsabilidade. E este termo ganha outro pesoquando você tem uma tarefa a ser cumprida que envolve outras pessoas,seus tempos, suas necessidades e suas “desculpas” para não entregar noprazo o que foi alinhado. Mas não é só isso; o termo também fala sobre aresponsabilidade de quem está do lado de cá, fazendo o pedido e criandoexpectativas de que ele seja atendido.Percebo que accountability é um conceito complexo, principalmente, para pessoas que por perfil tendem a limitar sua “parte na tarefa”àquilo que elas acreditam que lhes cabe. Na minha experiência nas organizações pude escutar diversas vezes frases, como: “eu já fiz a minhaparte, se fulano não fez a dele, aí são outros quinhentos…”Lamento, pois esse tipo de pensamento atravanca processos, desanima equipes e desencoraja a própria empresa de realizar investimentono desenvolvimento do seu capital humano. Mudar é sem dúvida o queprecisamos fazer e tenho tido esperança na cultura de accountability,pois nasce aqui um convite para debate de um conceito antigo quenecessita ser extrapolado, o de “senso de dono”.Até hoje, sempre que desejamos mais engajamento dos times, insistimos em políticas que gerem neles paixão suficiente para fazer adiferença. Não que eu acredite que isso irá morrer, mas é preciso incentivar pessoas por outros lugares, e o encorajamento que é despertado aqui é muito mais palpável, pois pode ser medido nas entregas, nosprazos cumpridos, nos nãos ditos, nas negociações de prazos realizadas, nos acordos que favorecem ambas as partes, na comunicação, nasdecisões mais estratégicas e, por fim, em uma responsabilização maisjusta e coerente, menos emocional.No livro citado neste artigo, escrito por Carolyn Taylor, são especificados alguns passos considerados essenciais nessa mudança. A seguir,para apoiá-los em suas reflexões e na construção de um novo olhar sobre a sua postura e sobre a postura da sua organização, RH, líderes e liderados, eu selecionei alguns deles para vocês, leitores. Dentre estes estão:Preparar: Antes de solicitar algo a alguém e de deduzir que esta pessoa entregará o que você precisa do jeito que você precisa, prepare-separa desenhar de forma clara sua demanda, suas expectativas, prazos,flexibilizações e pontos inquestionáveis. Traga tudo isso para a mesa deconversa junto com você e não deixe espaços em branco. Nada é óbvio;Analisar: Avaliar o risco, ou seja, antes de se comprometer e prometer algo, analise o risco que você tem de não conseguir entregar oque prometeu com a amplitude que lhe foi requisitado. Pense nos desafios de tempo, na complexidade, na sua familiaridade com a tarefa e,se preciso for, faça as negociações necessárias antes de dar o seu sim;Comprometer-se: Dar sua palavra. Todo sim significa que você vaicuidar de cada detalhe do processo, portanto, dizer um sim é comprometer-se. Só faça isso quando sentir que está confiante. Nunca diga, “claro,vou fazer, ou deixa comigo que eu resolvo”; ao invés disso diga: Sim, podecontar comigo, farei para a data x; não posso me comprometer; por favorme explique melhor o ponto y para que eu avalie se posso contribuir;Acompanhar: Ajudar a pessoa que fez a promessa ou a si próprioa cumprir o que foi combinado. Controle o que está acontecendo e,aos poucos, vá construindo uma relação de confiança que te dê maisliberdade para a ação e isso vale para quem fez o pedido e para quemestá realizando a ação. Crie um cronograma com pausas pontuais paraanálise do andamento do processo e reajustes de rota;Assumir os problemas: É se responsabilizar pelo que fez você nãoentregar o que combinou naquele prazo, ao invés de deixar para avisarisso de última hora, ou como fazíamos no colégio, dizer que “o seucachorro comeu o dever de casa”. Então, ao invés de encontrar culpados ou de se colocar neste lugar, mude inclusive a sua forma de falar.Se antes você diria: choveu e por isso eu atrasei. Hoje você diz: eu nãoprevi que eu me atrasaria por causa da chuva; eResultados: Avaliar se a promessa foi cumprida e celebrar os ganhos. Por fim, aprender com os erros e com o sentimento de fracasso,trabalhando para ter uma mentalidade menos vulnerável às críticas emais voltada para o aprendizado constante.Fácil? Eu sei que não. Mas é assim que vamos nos tornar profissionais de verdade e manter a nossa empregabilidade. Agora, se você queme lê, responde pela empresa em que atua, o seu papel é ainda maior.Lembre-se de que estamos falando da sua reputação e isso ninguémesquece. Pense nisso!

Últimas Notícias

Desmitificando a PL da Silvicultura 

Combatendo a desinformação sobre a silvicultura, especialistas esclarecem a produção florestal das árvores cultivadas como uma atividade sustentável

Preços mundiais dos produtos florestais mantêm cenário negativo

A produção e preços dos produtos florestais variaram na última década, com retrações na crise sanitária e recuperação seguida de novas quedas.

Demanda por produtos de papel: consequências das inundações no RS

As inundações no RS devem ter impacto limitado na demanda por papel em 2024, com forças opostas compensando-se no curto e médio prazo.

Branded Contents

INCAPE forma primeira turma do curso “Mulheres Papeleiras”

Iniciativa da INCAPE reforça o compromisso da empresa com o Pacto Global da ONU, rumo à igualdade de gêner

Thiago Karam Westphalen assume presidência da INCAPE

Thiago Karam Westphalen assume como diretor presidente da INCAPE, com planos de continuar a trajetória de sucesso da família na expansão dos negócios

Destaques Tecnológicos

Destaques tecnológicos do setor: Andritz, Contech, Hergen, Solenis, Valmet E Voith

Compartilhar

Newsletter

Mantenha-se Atualizado!

Assine nossa newsletter gratuita e receba com exclusividade notícias e novidades

Mais Colunas